• Emilie Andrade

Todos os Gêneros: Mostra de Arte e Diversidade


Eu e minhas parceiras do Coletivo As Rutes estivemos no Itaú Cultural nos dias 25 e 26 de Junho participando do evento Todos os Gêneros: Mostra de Arte e Diversidade. Com a ilustradora Laura Teixeira, propusemos uma oficina onde a fantasia era o conceito e o produto final. Se vestir de que, de quem? Inventar capas, cores, máscaras que de algum modo falam de quem eu sou ao mesmo tempo que falam de quem eu poderia-gostaria-desejaria ser, ou ainda, de quem poderíamos ser se o mundo não nos invadisse tanto. Durante os dois dias que realizamos a oficina pudemos ver pais e pequenos mergulhados na construção de suas fantasias.


Depois da oficina, teve histórias que nomeamos de O jogo de você: contos ancestrais sobre a fantasia de ser o que se é. Foram algumas semanas procurando, discutindo, intuindo os contos pra contar. A Tânia Piffer nos acompanhou com a sua música, voz e doçura, uma equipe maravilhosa traduziu os contos em Libras e o Pedro Napolitano Prata fez essas fotos lindas com sua mirada encantada. A professora e contadora de histórias Fabiana Rubira nos orientou nesse percurso mágico de escavação: quais contos poderiam nos ajudar a pensar nas relações de gênero e de indivíduo hoje? quais contos poderiam nos guiar nessa reflexão?

Chegamos a três: A criança sem nome, Príncipe Dragão e O Rei que virou mulher. A partir delas pensamos sobre a possibilidade de, enquanto humanos, existir em nós a potência de saber ser tudo. Mesmo porque, não compro essa ideia de que existe bem lá no fundo de cada um de nós, um ser que realmente seja eu, uma essência de mim que eu deveria descobrir, libertar ou sei lá o que.

Acho mesmo, que somos feitos de devir, de contato, de relações com o mundo dentro e fora da gente, sempre diferente, sempre se transformando. Contar essas histórias ancestrais é muito mais potente pra libertação que a gente tanto deseja, do que qualquer opinião que eu poderia dar sobre o assunto. Um presentão ser contadora de histórias, aprender tanto e compartilhar com a Cris e com a Sarah essa viagem.




#ItaúCultural #ColetivoAsRutes #diversidade

Um jeito de começar a se aproximar das histórias é cuidar da sua própria. Quer experimentar?

Deixa seu e-mail aí embaixo que te mando de presente a

"ÁRVORE DA VIDA.

 

Emilie Andrade / Brasil / 55 16 98220-4398

  • White Facebook Icon
  • White LinkedIn Icon
  • White YouTube Icon
  • White Instagram Icon

Além de artista da palavra, sou estudiosa e facilitadora de práticas narrativas. Uma metodologia que acompanha pessoas e organizações na re-autoria das próprias narrativas.

Ficou curiosa?

é só visitar www.sementeira.art